Castração do pet: conheça a importância e os benefícios da cirurgia!

Esse procedimento ainda é um assunto que assusta muitos donos de pets. Isso pode acontecer por não saberem quais são os benefícios para os animaizinhos que esse procedimento cirúrgico tem, como a prevenção de uma série de doenças ligadas ao aparelho reprodutor e também evita cruzamentos indesejados - que contribuem para o aumento do número de pets abandonados.

Mas, se você está em dúvida sobre como funciona e/ou quer saber mais detalhadamente sobre todos os benefícios da castração, venha com a gente, vamos explicar direitinho! E, para isso, entrevistamos o médico veterinário, Moisés da Motta Pinheiro, graduado pela UENP e especialista em Neurologia Veterinária.

Previne diversas doenças

De acordo com Moisés, a castração nos cães e gatos ajuda a evitar algumas doenças reprodutivas, como o tumor de mama, útero e piometra (infecção uterina) nas fêmeas e a hiperplasia prostática no caso dos machos. "Também existem alguns benefícios comportamentais envolvidos (deixar o animal com um caráter menos dominante), porém não é o foco principal da castração", completa o médico veterinário.

Os benefícios também incluem a cadela ficar livre dos riscos da gravidez indesejada e das possíveis complicações decorrentes, como citamos acima. É recomendado que a castração seja feita a partir de 8 meses.

Como funciona a cirurgia de castração?

Moisés explicou que o procedimento é basicamente a remoção do principal órgão secretor de hormônios sexuais - ovários nas fêmeas e testículos nos machos; nesse caso, o útero da fêmea também é retirado para evitar tumores.

Quanto aos riscos da cirurgia, ele explica que "o procedimento cirúrgico envolve riscos inerentes a qualquer outro procedimento que envolva anestesia geral e cirurgia propriamente dita, como reação exacerbada a anestesia e sangramentos excessivos". Mas não se preocupe, os riscos diminuem bastante se a cirurgia for realizada por uma equipe bem preparada. "Esses riscos são completamente minimizados e contornados quando tem uma equipe bem preparada, consulta, exames pré-anestésicos e centro cirúrgico equipado para receber qualquer eventualidade. No geral é um procedimento de baixíssima complicação em que os benefícios superam muito os riscos" afirma Moisés.

Os cuidados com o pós-operatório

Esse período tende a ser livre de complicações se não deixar o animal totalmente livre para correr ou subir escadas, sofá, cama. Então deve-se evitar passeios e caminhos com obstáculos; No pós operatório imediato - que é em torno de 10 dias -, o animal deve ser resguardado para não abrir os pontos ou infeccionar a região.

Mas, é claro que isso não é tão fácil assim, principalmente quando o bichinho é arteiro. como é o caso da cachorrinha Brenda! A sua dona, Ariely Polidoro, nos contou que a cadela foi adotada com 8 meses e o processo de castração já estava ocorrendo, e logo ela já passou pela cirurgia com 9 meses.

"Resolvi continuar com o procedimento por prevenção mesmo. Mas a Brenda é arteira e ficou bem inquieta com o cone. Ela conseguiu lamber o corte e uns pontinhos abriram um pouco. Mas o resto foi bem", cometa Ariely.

Algumas medicações são necessárias para evitar que se tenha dor abdominal ou no saco escrotal, como antibióticos e anti-inflamatórios. Moisés explicou que "deve-se fazer a limpeza do local com produtos anti-sépticos conforme o veterinário responsável orientar. A retirada dos pontos geralmente é feita entre 7 a 10 dias ou de acordo com a cicatrização de cada paciente".

Como o animalzinho fica após a castração?

Segundo o médico veterinário, no médio e longo prazo a fêmea não entra mais no cio e o macho não sente mais atração sexual pela fêmea não castrada (a que está no cio). "Isso ocorre pelo decréscimo nos níveis de hormônios sexuais; alguns animais podem apresentar alterações comportamentais assumindo uma postura menos dominante e “briguenta” cometa.

Os donos do pet acompanham de perto as mudanças. "Nos primeiros dias ela ficou mais quietinha, por causa do corte mesmo. Mas depois voltou ao furacão que ela é, ou seja, normal", diz Ariely. E completa. "Recomendo a castração, principalmente pros donos que não desejam ter muitos cachorros ou gatos. Eu não sei muito dos aspectos mais biológicos, mas pensando que tem muito animalzinho abandonado, o procedimento é bem necessário!".

Fonte: Dog Hero e Blog Petz |Redação, edição e entrevista: Luisa Volpe - Agência Netshare Marketing Criativo | Consultoria: Dr. Moisés da Motta Pinheiro, médico veterinário e especialista em Neurologia Veterinária